Terapia com laser/luz de baixa potência na alopécia androgenética

laser luz baixa potencia LED alopecia androgenetica cabelo

Não há dúvida que o tema alopécia androgenética tem sido amplamente abordado no meu site. Porquê? Porque eu mesma tenho uma alopécia androgenética, porque profissionalmente lancei em Portugal medicamentos usados nesta patologia e porque é uma doença realmente prevalente, podendo afetar 80% dos homens e 40% das mulheres. E desengane-se quem acha que uma alopécia androgenética é o mesmo que queda de cabelo. Uma não significa a outra e vice versa. Uma vez que o tema da terapia do laser / luz de baixa potência tem vindo a aparecer cada vez mais sobre a forma de produtos intermináveis que “prometem” tratar / melhorar o aspeto do cabelo, decidi convidar a Dra. Filipa Ventura, dermatologista de referência em Portugal na área do cabelo, da Clínica Epidermis Porto, a explicar o que é a terapia com laser / luz de baixa potência e se realmente vale a pena investir neste tipo de tecnologia na alopécia androgenética.

Mas antes… as terapias complementares da alopécia androgenética

laser luz baixa potencia LED alopecia androgenetica cabelo

Já abordei aqui no site o tema das diversas terapias complementares da alopécia androgenética neste artigo, pelas mãos do dermatologista Dr. Rui Oliveira Soares e também o tema transplante capilar aqui, aqui e aqui. Recomendo a leitura destes artigos uma vez que esta é uma área com grande evidência científica no que diz respeito ao tratamento medicamentoso mas onde, também, devido à sensibilidade do tema, existe uma atração de burlões que procuram lucro através de terapias sem qualquer suporte científico, transplantes sem indicação para tal ou terapias complementares caríssimas e com poucas melhorias observadas e que não têm a capacidade de oferecer resultados reais. Não devemos ainda esquecer que um tricologista tem de ser dermatologista. Para verificar se um profissional é dermatologista basta colocar o nome do profissional nesta página do site da Ordem dos Médicos e conferir se aparece o nome e a especialidade – basta colocar o nome e clicar em pesquisar.

Ainda sobre o tratamento medicamentoso da alopécia androgenética recomendo a leitura deste artigo onde é dada a resposta às 20 dúvidas mais frequentes sobre o tema.

O que devemos saber então sobre terapia com laser / luz de baixa potência na alopécia androgenética?

Terapia com laser / luz de baixa potência na alopécia androgenética

Dra. Filipa Ventura: A alopécia androgenética (AGA) é uma patologia que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Caracterizada pela perda progressiva de cabelo, a AGA tem um impacto significativo na autoestima e na qualidade de vida dos indivíduos afetados. Atualmente o minoxidil e os fármacos antiandrogénicos, como a espironolactona e os inibidores da 5 alfa redutase (finasterida e dutasterida), continuam a ser os tratamentos mais utilizados e mais eficazes. Existem poucas opções de tratamento alternativo para os pacientes que apresentem efeitos laterais, que não respondam aos tratamentos clássicos ou a quem estejam contraindicados.

Entre essas opções de tratamento disponíveis, a terapia com laser / luz de baixa potência (LLLT, Low-Level Laser Therapy) tem ganho destaque.

A LLLT é um método de terapia de luz não térmica que tem um efeito fotobiomodulador. Recentemente tem sido utilizado para promover a cicatrização de feridas, bem como pelas suas propriedades anti-inflamatórias, foto-rejuvenescimento e como tratamento para diversas doenças dermatológicas. Embora os mecanismos exatos ainda não sejam conhecidos, alguns mecanismos celulares e moleculares foram identificados em estudos recentes. Presume-se que a LLLT liberte óxido nítrico do citocromo c oxidase, um cromóforo responsável pela absorção da luz vermelha / infravermelha, conduzindo a cadeia de transporte de eletrões a gerar trifosfato de adenosina e espécies reativas de oxigénio, além de induzir fatores de transcrição. Como resultado, tem-se especulado que a LLLT exerce o seu efeito no crescimento do cabelo, estimulando a reentrada na fase anagénica (fase de crescimento) dos folículos capilares em fase telogénica (fase de queda), prolongando a duração da fase anagénica e aumentando a taxa de proliferação dos folículos capilares anagénicos ativos.

Dispositivos de laser / luz de baixa potência (LLLT, Low-Level Laser Therapy) em capacete, boné, pente ou banda para cabelo

laser luz baixa potencia LED alopecia androgenetica cabelo

Existem diferentes dispositivos de LLLT, em forma de capacete, boné, pente ou banda para o cabelo. Acredita-se que o efeito da LLLT sobre o crescimento do cabelo seja observado, sobretudo, para comprimentos de onda entre os 630 e 660 nm. Estes dispositivos podem emitir:

  • laser diodo (LD)
  • light-emitting diodes (LED)
  • ou uma combinação de ambos

Existem muitos dispositivos comercializados, alguns deles são:

  1. Capillus Descrição: Capacete de LD de 650 nm; Tratamento: duração de 30 min, 3-4x/semana; Modelos populares: CapillusPro, Capillus Plus, CapillusUltra
  2. iRestore Descrição: Capacete de LD e LED (650-660 nm); Tratamento: duração de 25 min, diário; Modelos populares: iRestore Professional, iRestore Essential
  3. HairMax Descrição: Pente ou faixa do cabelo que emitem LD de 655 nm; Tratamento: duração entre 90 seg a 15 min, 3x/semana; Modelos populares: HairMax LaserBand, HairMax LaserComb
  4. LaserCap Descrição: Boné de LD de 650 nm; Tratamento: duração de 30 min, diário; Modelos populares: LaserCap SD, LaserCap HD+
  5. RevianRedDescrição: Boné de LED (620-660 nm); Tratamento: 10 minutos, diário; Modelos populares: GrivaMax Laser Cap
Quais as diferenças entre a luz laser e a luz dos LEDs?

De forma resumida, passo a explicar as principais diferenças entre as duas fontes de luz em causa, LD e LED. A luz laser (LD) é coerente, o que significa que as ondas de luz são sincronizadas em fase e direção, enquanto que a luz dos LEDs é mais difusa e menos direcional. A luz laser penetra mais profundamente na pele devido à sua alta coerência e direção e pode atingir as camadas mais profundas do couro cabeludo, estimulando os folículos capilares de forma mais eficaz. A luz dos LEDs é mais superficial, menos penetrante e a distribuição é mais uniforme, mas pode não alcançar as camadas mais profundas do couro cabeludo com a mesma eficácia que a luz laser. Ambas são consideradas seguras, mas a luz laser, dada a sua maior intensidade, tem um maior risco de queimadura. Equipamentos de luz laser tendem a ser mais caros devido à tecnologia envolvida. As sessões de tratamento podem ser realizadas em clínicas especializadas, o que pode aumentar o custo total. Os dispositivos de LED são mais acessíveis e frequentemente disponíveis para uso doméstico, tornando-se uma opção mais económica para muitos pacientes.

A LLLT é geralmente bem tolerada, com poucos efeitos laterais relatados. Quando ocorrem, os efeitos adversos são tipicamente leves e transitórios, incluindo irritação leve do couro cabeludo ou sensação de calor durante o tratamento. A aparente ausência de efeitos laterais graves torna a LLLT uma opção atraente para muitos pacientes.

Após uma revisão sistemática da literatura é clara a escassez de estudos controlados que visam demonstrar a eficácia e segurança da LLLT para o tratamento da AGA. Os trabalhos que existem apresentam uma melhoria discreta a moderada da AGA mas são necessários mais estudos para essa confirmação, assim como para uma definição dos parâmetros ideais, tempo de sessões e intervalo entre elas.

Na minha prática clínica não aconselho o uso destes dispositivos precisamente pela ausência de evidência clínica da sua eficácia.

Dra. Filipa Ventura, dermatologista

 

laser luz baixa potencia LED alopecia androgenetica cabelo

laser luz baixa potencia LED alopecia androgenetica cabelo

Notas finais: no meu caso nunca usei este tipo de dispositivos de laser / LED (LLLT) na alopécia androgenética. Para além da falta de evidência científica, são equipamentos caros e com escassos estudos controlados que mostrem a sua eficácia e SEGURANÇA. Por este motivo, e porque não me foram indicados ou sugeridos no meio médico especializado, optei por nunca utilizar na minha abordagem à alopécia androgenética.

 

Fotografia: Márcia Soares

Posts relacionados

Solar Protect: a nova água solar para cabelo e couro cabeludo!

A Solar Protect da Lazartigue é a nova água solar protetora do cabelo e couro cabeludo que irá fazer as delícias de quem não prescinde dos bons dias de praia e dos longos banhos de mar e piscina. Mas, o que acont...

Junho 18, 2024

Como conquistar a tão desejada “alopecian beauty”?

O cabelo com alopécia androgenética (perda de densidade capilar / calvície) enfrenta inúmeras dificuldades. Por todos estes motivos hoje partilho os meus 6 truques para lidar com a minha alopécia e como conquista...

Maio 28, 2024

Go XXL Ciment Jean Louis David: densidade e volume garantidos!

Recentemente estive no salão Jean Louis David para fazer um brushing e decidi experimentar um produto que me foi recomendado por uma das profissionais, em vez da tradicional mousse (para dar volume): o Go XXL Cim...

Abril 9, 2024

Comenta este post

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

As seguintes regras de RGPD (Regulamento Geral Proteção de Dados) terão de ser lidas e aceites:
Este formulário armazena o teu nome, e-mail e conteúdo para que possamos acompanhar os comentários colocados no site. Para mais informações, consulta a nossa política de proteção de dados, onde obterás mais informações sobre onde, como e por que armazenamos os teus dados.

recebe as novidades beautyst

    A

    Aceito as condições gerais. Consulta a nossa política de proteção de dados. Este website está protegido pelo reCAPTCHA e a Política de Privacidade e Condições do Serviço do Google são aplicáveis.

    My beauty Wishlist

    Copyright Beautyst . 2024