Mãe em burnout, mãe ausente

burnout

Assunto tabu, este. Já falei aqui sobre o processo de burnout de que sofri. Há muitas coisas importantes que gostava ainda de partilhar contigo. Quando passamos por um processo assim, e ainda por cima achamos que estamos longe de uma situação destas, é muito fácil não identificarmos os sinais de alarme. Para além da falta de sono e de apetite e dos problemas de memória, lembro-me que não tinha vontade de ver ninguém. Só queria estar fechada, deitada, desligada do mundo. Pouco a pouco, a exaustão foi-me consumindo, não sobrando energia para mais nada. A única energia que existia servia para dar resposta às inúmeras solicitações da empresa onde eu trabalhava.

burnout

Vida pessoal?

Quando dei por mim já não conseguia marcar coisas da minha vida pessoal. Sair com amigos, ir a consultas, ir ao ginásio, fazer as coisas normais como ir ao supermercado e o mais importante de tudo, conseguir acompanhar os meus filhos. A empresa tinha dominado a minha vida, a minha agenda e todos os meus compromissos. Para conseguir manter-me ativa, tive de recorrer a medicação, e só assim era possível continuar a trabalhar. Tomava medicamentos para dormir e ansiolíticos para controlar o stress e a ansiedade.

burnout

Mãe ausente

Um dia, muitos meses passados deste esquema, percebi que não era possível durar muito tempo assim. Percebi que não me podia conformar a ser infeliz. Eu estava em profunda depressão. Como num dia normal, cheguei a casa perto da hora de os meus filhos irem dormir, e quando abri a porta de casa eles nem deram pela minha presença. O Duarte e a Luísa tinham deixado de ter qualquer ligação comigo. Não havia partilha, não havia cumplicidade. Apenas discurso para cumprir tarefas (“vamos deitar”, “está aqui a roupa da escola”, “já lavaste os dentes?”). Outras pessoas tomavam conta deles. Eu pagava para alguém estar com eles, para alguém os ir buscar à escola, para alguém usufruir da sua companhia, enquanto eu desempenhava apenas a minha profissão. Foi neste momento que se deu um grande click na minha cabeça.

burnout

Um dia não consegui mais

Acordei muito maldisposta num dia de Novembro e senti que o meu corpo já não me deixava levantar. Decidi ir ao Centro de Saúde. Pedi à minha mãe para vir comigo pois eu tinha medo de me esquecer de contar o que estava a acontecer comigo (tinha falhas de memória permanentemente). A médica, a quem até hoje estou eternamente grata, disse-me que eu tinha de parar imediatamente. Que eu estava em burnout, com o discurso muito lentificado, deprimida (eu chorava a cada frase que dizia) e sem reação. Ela disse-me que eu tinha de parar no mínimo 3 meses e recomendou-me repouso, medicação anti-depressiva e seguimento psicológico. E exercício físico.

burnout

Ciclo vicioso?

Isto assustou-me imenso. Nunca pensei chegar a este ponto, até porque, este ritmo era o normal na empresa. Aliás, a maior parte das pessoas à minha volta (colegas e mesmo amigas) estava no mesmo registo e achei que a vida era mesmo assim. O ponto de viragem foi tentar sair deste buraco… O que me entristece é conhecer várias pessoas nas mesmas circunstâncias e que não conseguem sair do ciclo vicioso.

Há poucos dias recebi um convite da Revista Reiki & Yoga para partilhar o meu testemunho, isto porque a última edição é completamente dedicada ao tema burnout. Fica aqui o registo. Acredito que a minha experiência pode ajudar alguém a identificar atempadamente os sinais desta doença.

reiki yoga burnout

reiki yoga burnoutPorque é que não se fala mais sobre este assunto?

Fotografia: Yellow Savages

Artigo da revista Reiki & Yoga gentilmente cedido pela Zen Elly.

Posts relacionados

Por que vou a um congresso de dermatologia para médicos?

Neste projeto, uma das coisas a que dou muito valor é ter fontes credíveis. Essas fontes, para mim, que trabalhei durante muitos anos na Indústria Farmacêutica, são fontes médicas - artigos, apresentações, congre...

Maio 16, 2019

O que é o burnout (depois de ter passado por um)

Se há pessoa que achava que nunca ia passar por isto era eu. Sempre com um grande foco no trabalho. Sempre a dar o litro e a tentar fazer mais. E melhor. Procurei alternativas e coisas boas para progredir. Desde ...

Fevereiro 26, 2019

Este livro da Dra. Yael Adler!

Já tinha ouvido falar sobre este livro da Dra. Yael Adler, "O fascinante mundo da pele", com imensas opiniões sobre os cuidados que devemos ter no dia a dia com o maior orgão do nosso corpo. Neste livro a dermato...

Fevereiro 5, 2019

Comenta este post

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

As seguintes regras de RGPD (Regulamento Geral Proteção de Dados) terão de ser lidas e aceites:
Este formulário armazena o teu nome, e-mail e conteúdo para que possamos acompanhar os comentários colocados no site. Para mais informações, consulta a nossa política de proteção de dados, onde obterás mais informações sobre onde, como e por que armazenamos os teus dados.

recebe as novidades beautyst

A
Aceito as condições gerais. Consulta a nossa política de proteção de dados.

My beauty Wishlist