Urticária colinérgica – alergia ao calor e stress. O que fazer?

urticária colinérgica

Para contextualizar a publicação deste artigo sobre urticária colinérgica acho muito importante referir que não há NADA como nos sentirmos bem na nossa pele. Depois de um ano muito difícil, com vários sintomas de urticária colinérgica, finalmente consegui perceber e resolver o que me incomodava tanto, após uma conversa com a dermatologista Dra. Ana Sofia Borges. Porque este é um assunto que pode mexer tanto com a auto-estima e bem-estar a Dra. Ana Sofia Borges desmistifica o tema neste artigo. Espero que seja útil acima de tudo (tal como foi para mim).

Mas primeiro… como vivi a urticária colinérgica?

2022 foi definitivamente o ano mais difícil para a minha pele pois durante longos meses não consegui identificar uma condição que a afetou: uma urticária colinérgica, provocada pela transpiração, e que condicionou MUI-TO a utilização de vários cuidados habituais de skincare, pelo menos alguns de que não consigo prescindir como os renovadores celulares, a vitamina C em percentagem elevada, os esfoliantes físicos, entre outros, cuidados indispensáveis para mim. Simplesmente não tolerava. Só consegui fazer hidratação para pele intolerante durante muitos meses, mas isso está longe de ser o que eu pretendo.

Comecei por ter queixas de vermelhidão e comichão com uma sensibilidade fora do comum antes do verão do ano passado, sobretudo na zona da testa, pescoço e algumas áreas do rosto. Se no início ainda achei que este quadro pudesse ser provocado por algum produto de pele ou mesmo de cabelo, a verdade é que não estava a usar nada de tão diferente que pudesse causar uma reação tão grave. A comichão chegou a ser tanta que acordava muitas vezes de noite a coçar-me. Foi extremamente incomodativo e difícil para mim. A urticária colinérgica fez-me perceber como a frase “sentir-me bem na minha pele” é efetivamente essencial para o meu bem-estar.

No inverno de 2022 as coisas acalmaram um pouco (ainda que não completamente), mas bastou chegar novamente o calor este ano e mais transpiração para voltar tudo ao mesmo. No ginásio acabei por desistir quase completamente das aulas de Cycling pois transpirava muito mais que nas aulas de Body Pump. Foi neste contexto que falei com a dermatologista Dra. Ana Sofia Borges e que… FINALMENTE (e digo com letra maiúscula pois foi dos maiores alívios de sempre) resolvi algo que me incomodava tanto e ao longo de tantos meses. Abaixo a Dra. Ana Sofia Borges responde às questões fundamentais sobre urticária colinérgica.

O que é a urticária colinérgica?

Dra. Ana Sofia Borges: A urticária corresponde a uma reação inflamatória na pele onde células denominadas mastócitos libertam várias substâncias, entre elas a histamina, que provocam vasodilatação e comichão. Isto pode acontecer espontaneamente (urticária espontânea) ou ser desencadeado por fatores externos identificáveis como o stress e aumento de temperatura corporal (urticária colinérgica), por exemplo, durante a prática de exercício físico.

Porque é que isso acontece na urticária colinérgica?

A ciência ainda não tem uma resposta para esta desregulação de células do sistema imunitário na pele (mastócitos). Sabemos que alguns estímulos, como o calor, exercício, sol, frio, podem desencadear esta reação, mas não sabemos porque é que se inicia. Provavelmente, outras situações de stress emocional ou infeções, podem tornar o nosso sistema imunitário mais “débil” e suscetível a esta desregulação.

Quais os sintomas da urticária colinérgica?

De forma praticamente imediata em situações de calor, exercício ou stress, começam a aparecer manchas na pele vermelhas tipo “babas” que dão muita comichão. Durante as crises, os sintomas são:

  1. Manchas vermelhas – tipo “babas”, como se se tivesse sido picado por um mosquito
  2. Muita comichão – dando mesmo “prazer” coçar, mas praticamente sem alívio
  3. Sensação de ardor – em alguns casos há mesmo sensação de calor muito intenso, tipo queimadura
  4. Desaparecem sozinhas – embora seja repetitivo ao longo de vários dias, a duração de cada “baba” é inferior a 24h e não deixam marca na pele
Como controlar os episódios de urticária colinérgica?

O remédio passa por evitar todos os gatilhos: sol, calor, exercício físico. Porém isso pode ser difícil e ter um impacto significativo na nossa vida (eu, por exemplo, morria se ficasse proibida de ir ao ginásio!). Por isso, é necessário recorrer a medicação que ajude a acalmar esta hiperatividade dos mastócitos na pele.

O tratamento de primeira linha são os anti-histamínicos, que, como o nome indica, impedem a ação da histamina. Em casos recorrentes, podem mesmo ser necessários ciclos mais longos, de 2 a 4 semanas (ou até manter diariamente) para conseguir acalmar a atividade da doença ou, pelo menos, evitar a recorrência dos episódios.

No entanto, cada caso é um caso, sendo o seguimento por um dermatologista fundamental!

6 perguntas e respostas sobre urticária colinérgica

As respostas a seis questões frequentes sobre urticária colinérgica:

  1. Existem cuidados complementares ao uso de anti-histamínico para ajudar a minimizar os sintomas da urticária colinérgica? A urticária induzida, da qual a colinérgica faz parte, é provocada por um agente desencadeante, neste caso o calor e exercício físico. Deste modo, a “cura” será sempre evitar agentes responsáveis. Os anti-histamínicos servem apenas para controlar sintomas (na maioria dos casos fundamental porque a evicção por completo do calor / exercício é difícil e bastante limitante no dia a dia de muitas pessoas).
  2. Qualquer anti-histamínico pode ser usado na urticária colinérgica? Qual o papel dos efeitos secundários na prescrição do mesmo? Preferencialmente devem ser escolhidos anti-histamínicos de classe H2 para evicção do possível efeito sedativo (dar sono).
  3. Após a utilização de anti-histamínico entre 2 a mais semanas, posso vir a ter urticária colinérgica de novo? Embora saibamos que é desencadeada pelo exercício, a verdadeira razão pela qual o corpo reage “alergicamente” a esse fator é desconhecido. Por isso, a propensão à recorrência é muito elevada, sendo que na maioria dos casos pode ser necessária terapêutica de manutenção.
  4. A urticária colinérgica desaparece para sempre após o tratamento? Trata-se de uma doença reativa sem uma causa completamente bem determinada, na maioria de caráter crónico e recorrente. Por isso, não podemos dizer que há uma cura definitiva.
  5. Há grupos etários mais suscetíveis de virem a ter urticária colinérgica? Na generalidade, a urticária tende a afetar mais adultos jovens / meia idade, mas pode afetar qualquer faixa etária incluindo crianças.
  6. A infeção por Covid pode desencadear episódios de urticária / urticária colinérgica? As infeções, nomeadamente infeções respiratórias virais, são das principais causas de urticária aguda (ou seja, episódio isolado). Em doentes predispostos, pode funcionar como gatilho para uma urticária crónica. No entanto, por definição, urticária colinérgica é desencadeada por aumento da temperatura corporal, excluindo-se outros fatores causais.

Dra. Ana Sofia Borges, dermatologista

Feedback sobre o meu tratamento para a urticária colinérgica

Em Maio deste ano fiz um ciclo de 4 semanas de anti-histamínico, sem quaisquer efeitos secundários e senti que foi “um milagre” para a minha pele. De repente já conseguia fazer a minha rotina de pele completa e tudo o que me incomodava desapareceu “como que por magia”: sem vermelhidão, sem comichão e passei a tolerar os meus cuidados habituais. A minha pele voltou a ser o que era.

Neste Agosto, com uma onda de calor fora do comum, comecei a ter de novo alguns sintomas de urticária colinérgica. Falei de imediato com a Dra. Ana Sofia Borges e instituímos novo ciclo de tratamento que irá durar até 1 semana após as férias. Apesar de perceber que é uma situação que poderá acontecer mais vezes, a realidade é que é um enorme alívio não ter sintomas e, acima de tudo, saber que afinal é possível manter o meu bem-estar e continuar a minha vida normal, com exercício físico e com calor. E com a pele impecável.

 

Fotografia: Márcia Soares

 

Posts relacionados

12 protetores solares imperdíveis e as novidades mais quentes!

Tenho de começar por dizer que o protetor solar é, sem dúvida, o meu produto cosmético favorito e o produto antienvelhecimento número 1. 80% dos sinais de envelhecimento da pele são devidos à exposição solar todo...

Junho 8, 2024

Espuma Micro-Peeling Vinoperfect: pele nova em 30 segundos!

A gama Vinoperfect da Caudalie é uma referência no segmento antimanchas e luminosidade. A estrela desta gama é o maravilhoso Sérum Vinoperfect, o mais vendido dentro deste segmento nas farmácias europeias. Esta g...

Maio 14, 2024

Cica Daily Uriage: pós procedimento ou uso diário (sem perfume)

Que boa novidade da Uriage que me chegou a casa há já algumas semanas! A novidade da gama Cica Daily encantou-me, uma gama com 3 produtos hidratantes e reparadores de cuidado diário ou pós procedimento, sem perfu...

Abril 29, 2024

Comenta este post

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

As seguintes regras de RGPD (Regulamento Geral Proteção de Dados) terão de ser lidas e aceites:
Este formulário armazena o teu nome, e-mail e conteúdo para que possamos acompanhar os comentários colocados no site. Para mais informações, consulta a nossa política de proteção de dados, onde obterás mais informações sobre onde, como e por que armazenamos os teus dados.

recebe as novidades beautyst

    A

    Aceito as condições gerais. Consulta a nossa política de proteção de dados. Este website está protegido pelo reCAPTCHA e a Política de Privacidade e Condições do Serviço do Google são aplicáveis.

    My beauty Wishlist

    Copyright Beautyst . 2024